Vereador Almeida solicita aquisição de equipamento que diminui em 60% internações em leitos de UTI

Autorizado pela Anvisa, o capacete Elmo é um mecanismo de respiração artificial não invasivo. Feito de silicone e PVC, oferece oxigênio em alto fluxo para internados.


Com a alta de casos da síndrome aguda grave pelo Sars-Cov-2, causador da covid-19, voltou a crescer também a demanda por leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), em Jaraguá do Sul. Nas últimas semanas, os hospitais do município emitiram um ofício comunicando a intensa procura de pacientes com problemas respiratórios em decorrência da doença. Pensando em contribuir no combate à pandemia, o parlamentar Luís Fernando Almeida (MDB) solicitou à prefeitura, através da Secretaria de Saúde, a aquisição do capacete de Respiração Assistida Elmo para tratar pacientes com quadro de moderado a grave da covid-19. O pedido foi realizado por meio de uma indicação na Câmara de Vereadores.


O equipamento, produzido por pesquisadores cearenses em parceria com a iniciativa pública e privada, teve o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e já está sendo utilizado em diversos estados brasileiros por não ser invasivo e pela sua eficácia comprovada em diminuir 60% a necessidade de internação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).


Segundo o parlamentar, a compra do material é de extrema importância ao município por surgir como um novo reforço ao tratamento de pessoas acometidas pelo vírus. Além de melhorar o quadro respiratório dos acamados, Almeida salienta que o aparelho possui um baixo custo de produção comparado com a máquina de ventilação mecânica.

“Enquanto não há vacinas suficientes para a população, toda e qualquer forma para salvar vidas deve ser buscada pelas autoridades. Estamos vivendo ainda um momento delicado da pandemia em nosso município”, frisou Almeida

Como funciona?


O aparelho foi criado com o objetivo de suprir a falta de respiradores nos hospitais. Feito com silicone PVC, o dispositivo envolve toda a cabeça do paciente e é fixado no pescoço em uma base que veda a passagem de ar.


De acordo com Almeida, estudos clínicos mostram que com a aplicação de oxigênio e ar comprimido, o Elmo gera uma pressão positiva em relação à pressão atmosférica que ajuda pacientes com dificuldades de respiração, aumentando o percentual de oxigênio no organismo já nas primeiras horas de uso contínuo.

Além de contribuir no quadro respiratório dos acamados, o equipamento irá dar mais segurança aos profissionais da saúde, já


que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus.

“A compra deste importante material também pode salvar muitas vidas. Não só das pessoas acometidas pelo coronavírus, mas de pacientes com pneumonias e outras doenças respiratórias”, reforçou o vereador.
1 visualização0 comentário